OS HOMIDEOS E O FOGO

De acordo com os mais recentes estudos antropológicos, o Homo habilis foi extinto por volta de 1.600.000 a.C. Isto ocorreu devido à sua evolução para o Homo erectus que possuía membros tão grandes e pesado quanto o ser humano de hoje.

Este novo tipo de homídeo permaneceu como o único existente entre os anos de 1.000.000 a 300.000 a.C. Como podemos observar, os Homo habilis, ainda conseguiram permanecer um pouco mais de tempo depois do estabelecimento da nova espécie para, depois, sucumbir completamente. O Homo erectus era uma espécie mais inteligentee mais hábil doa espécie que a antecedeu. Criou instrumentos de pedra bem mais sofisticados, eram melhores caçadores e, próximo a 500.000 a.C, já havia se expandido por toda África, pela Europa e pela Ásia e até às ilhas da Indonésiia.

Em 1894, a antropóloga holandesa, Marie Dibois, encontrou uma calota craniana, um fêmur e dois dentes. Nesta época não havia sido encontrado nenhum homídeo com o cérebro tão pequeno e, Debois, o denominou de Pithecanthropuserectus que em grego significa homem macaco ereto. Em 1927, em Pequim, foram feitas várias descobertas semelhantes pelo antropólogo canadense, Davidson Black, que batizou o seu homídeo de SinanthropusPekinensis que, em grego, significa Chinês de Pequim. Tempos depois,chegou-se à conclusão de que essas e outras descobertas tratava-se do mesmo homídeo que foi classificado como do gênero Homo. O termo erectus dado por Debois foi mantido, talvez por ser o mais antigo.

A descoberta do homídeo de Pequim se deu no interior de uma caverna soterrada o que significa que eles haviam evoluído, também na sua moradia já que, até então, se tinha conhecimento que habitavam por trás de muros construídos de pedra que evitavam o vento gelado ou de tendas mantidas em pé por uma estaca central. No entanto, nessa caverna descobriu-se que eram usadas fogueiras o que significa que em meados de 500.000 a.C, a sociedade humana existente compreendera e usara o fogo.

É claro que o homem não criou o fogo. No início os homídeos só tiveram conhecimento do fogo por meio de um fenômeno natural. Um raio, por exemplo, que caiu em cima de uma árvore. Daí, certamente, entendeu que a madeira da árvore era uma boa maneira de manter aquele fogo aceso.. Isto porque a necessidade de tê-lo aceso era primordial para manter as vantagens descobertas para aquele achado. Numa era glacial como aquela o fogo era muito bem-vindo, pois, mantido aceso em grandes fogueiras era capaz de aquecer a todos ao seu redore, ao mesmo tempo, mantinha afastados os predadores naturais. Por isso, a necessidade de manter o fogo aceso permanentemente, pois, caso apagasse, era preciso haver outro fenômeno natural para se obter, novamente, amostras de fogo. A maneira de se transportar o fogo de um lugar para outro ou de obter o fogo por fricção de uma haste de madeira com outra com uma depressão ou por fricção de duas lascas de pedra, etc. foram, sem duvida um grande avanço para a humanidade da época.

Assim, o fogo mudou, completamente, a vida humana sobre a Terra. Além de permitir o aquecimento no inverno, afugentar ao predadores, cozinhar os alimentos tornava-os mais macios e com o cozimento matava parasitas e bactérias tornando-os mais saudáveis. Finalmente, várias mudanças químicas foram possíveis em vários tipos de “pedras” com a presença do fogo, gerando as primeiras fundições de metais, lá pelos anos 400.000 a.C.Segundo Isaac Asimov: ” Nenhuma criatura viva além do ser humano fez uso do fogo mesmo de maneira mais primitiva. O fogo introduziu a humanidade no primeiro estágio da ‘alta tecnologia’.”