CRF denuncia distribuição irregular de medicamentos tarja preta em Campina Grande.

Ministério Público da Paraíba (MPPB) divulga matéria sobre a distribuição irregular de medicamentos tarja preta em Campina Grande.


Promotoria da Saúde estabeleceu prazo de 30 dias para regularização do serviço.

O Conselho Regional de Farmácia (CRF) denunciou ao Ministério Público da Paraíba a distribuição irregular de medicamentos psicotrópicos, conhecidos como tarja preta, nas Unidades Básicas de Saúde da Família em Campina Grande. Para tratar o assunto, a Promotoria da Saúde de Campina realizou, nesta terça-feira (13), uma audiência com a Secretaria Municipal de Saúde e o CRF.

Durante audiência, o coordenador de fiscalização do CRF, Olívio Rodrigues de Almeida, assegurou ao promotor Luciano de Almeida Maracajá, na presença da secretária de Saúde do município, Marisa Torres Agra, que na UBSF Wesley Cariri os psicotrópicos são armazenados no consultório do médico da unidade, que se encarrega de entregá-los aos pacientes que necessitam desses medicamentos, sem o acompanhamento de um profissional de Farmácia, como determina a lei.

Diante da gravidade da denúncia, o promotor Luciano Maracajá estabeleceu prazo de 30 dias para que a secretária Marisa Agra apresente ao Ministério Público um plano de entrega dos medicamentos “tarja preta” que inclua a presença de farmacêuticos. Ele sugeriu, inclusive, a elaboração de um mapa que possibilite às UBSF´s maiores condição de repassarem os remédios às unidades de menor porte que existem em suas proximidades, para melhor controle na distribuição definitiva dos psicotrópicos.

Fontehttp://www.mp.pb.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=4325:crf-denuncia-distribuicao-irregular-de-medicamentos-tarja-preta-em-campina-grande&catid=43:saude

Assessoria de Comunicação

Sifep