SIFEP faz 40 anos - Comemoração e Resistência! - Por Sérgio Luis

Chegar aos quarenta anos de existência é chegar a maturidade com coerência e experiência. E para uma entidade sindical no Brasil é algo, verdadeiramente, de merecido destaque. Pois é missão primordial de um Sindicato defender os trabalhadores de sua base de forma atuante e ouvindo a mesma. Essa missão sempre foi e sempre será pautada na resistência de propostas que denigrem o trabalhador farmacêutico. O Sindicato dos Farmacêuticos do Estado da Paraíba sempre fez isto, com muito empenho e dedicação, desde o dia em que o seu primeiro presidente, Haroldo Diniz, recebeu na data 25 de junho de 1979 a Carta Sindical das mãos do Ministro do Trabalho.


É importante uma reflexão. A profissão farmacêutica historicamente sempre enfrentou, e enfrenta, desafios que em grande parte estão relacionados a defesa da consolidação do exercício do seu trabalho decente. Os espaços de trabalho sofrem ameaças de formas diretas e indiretas a todo momento. Diretas pelas dissonâncias na relação empregado e empregador, com algumas exceções. E indiretas pela força do poder do capital financeiro que dita regras que exigem que a venda do produto do trabalho esteja acima do conhecimento técnico do profissional de saúde, o farmacêutico. As entidades sindicais, entre elas o SIFEP, tem além das fortes atribuições do dia a dia, a tarefa de manter o respeito a dignidade dos farmacêuticos em seu local de trabalho. Mas por incrível que pareça um dos maiores enfrentamentos para os sindicatos também é conseguir despertar a consciência de cidadania relacionada ao que é ser trabalhador, geralmente despertado no momento em que a relação de trabalhista é rompida, na rescisão de trabalho. Somado a tudo isto temos a disseminação de forma injusta de fortes campanhas de desgastes da representação sindical. De forma que boa parte do universo chamado população em geral, destacando a amostra de alguns farmacêuticos, têm a concepção errada formada que ser diretor sindical é território para os que não querem trabalhar e ainda receberem benefícios de proteção das regras trabalhistas, Esse conceito generalista trava o crescimento do trabalho sindical. De forma figurativa, o que existe atualmente é um ciclo improdutivo que atinge os sindicatos e principalmente os trabalhadores. A principal estratégia do SIFEP é conseguir acrescentar pontos positivos dentro do fluxo deste ciclo. A maior energia positiva para isto é a existência de trabalhadores que acreditam, valorizam e defendem o trabalho do seu sindicato. 

Novas fortes forças negativas surgiram de forma estratégica e programada contra os sindicatos. Seja ele atuante ou não, tenha diretoria honesta ou não, cumpra todos os protocolos das regras trabalhistas ou não. Não importa. Está posto para qualquer um que acompanha as noticiários e as homologações de leis, medidas provisórias e outros instrumentos de ataque as entidades.  Não só retrocedem os direitos trabalhistas, mas também os eliminam. O ápice deste ataque foi a Lei 13.467 de 2017, conhecida oficialmente como Reforma Trabalhista. Essa lei representa claramente a perda de conquistas trabalhistas históricas.

Como foi inicialmente dito é um momento de maturidade com resistência.  É desta forma que comemorarmos as quatro décadas de existência do Sindicato dos Farmacêuticos do Estado da Paraíba. Dizendo que as atribulações atuais devem servir de fortalecimento da unidade dos trabalhadores farmacêuticos e o SIFEP. Nunca na série histórica desta entidade sindical foi tão importante esse entendimento. Caso contrário teremos a consolidação de um projeto que busca o fim das representações sindicais e assim os prejuízos para a defesa dos direitos trabalhistas serão incalculáveis.  

Lutar e resistir sempre serão  palavras de ordem do SIFEP, pois sabemos da importância em representar os trabalhadores farmacêuticos do Estado da Paraíba.

Que tenhamos forças para comemorarmos 41, 42 e muitos anos à frente, lembrando SEMPRE que isso só será possível com a classe farmacêutica unida contribuindo para o fortalecimento da entidade, caso contrario, decretaremos o fim da entidade representativa e consequentemente o fim de todos os direitos conquistados durante essas 4 décadas de historia. Parabéns aos membros da diretoria, funcionárias, prestadores de serviços e principalmente a cada trabalhador farmacêutico que reconhece o valor do seu Sindicato!

Sérgio Luis
Vice-Presidente do SIFEP