OS BENEFÍCIOS DA RADIAÇÃO

Na minha cirurgia para recolocar outra prótese no joelho, já que a primeira foi colocada errada, passei uma noite na UTI. Lá para o meio da manhã chegou um técnico com um aparelho semiportátil de RX e preparou-o para bater um RX do meu tórax.

Discuti com ele alegando que não tinha nada no tórax. Além, disso já havia me submetido à radiação por muitas vezes durante o período anterior às cirurgias. Depois de uma discussão insistente o RX foi suspenso a contra gosto dos funcionários já que alegaram ser praxe do hospital aquela intervenção.

Acontece que, dentro de pouco tempo será mais fácil os hospitais usarem desse expediente para “arrancarem” dinheiro dos incautos pacientes que caírem nos seus laços para realizarem intervenções cirúrgicas. Isto porque está em fase final de desenvolvimento um aparelho que usa a radiação tetrahertz (RT) em lugar da radiação ionizante do RX.

Este é um sonho longamente perseguido por pesquisadores do mundo todo, que vêem na radiação terahertz - os raios T - uma categoria de exames médicos de nova geração, sem efeitos colaterais, além de inúmeras outras aplicações industriais.

Os raios T - que se encontram na parte do espectro eletromagnético entre o infravermelho e as micro-ondas, podem penetrar materiais que bloqueiam a luz visível, mas sem os danos impostos pela radiação ionizante, como os raios X. Os usos dos raios T conhecidos incluem análises químicas à distancia, imagens médicas de alta resolução e telecomunicações de alta velocidade e, mais para o futuro, celulares que odem “enxergar” através das paredes.

Recentemente, pesquisadores da Universidade de Leeds, no Reino Unido, conseguiram miniaturizar um emissor de raios T que atingiu uma potência acima de 1 Watt - isso é mais do que o dobro do que havia sido obtido anteriormente em um dispositivo não tão compacto. “Precisamos de lasers terahertz que não apenas ofereçam alta potência, mas também que sejam portáteis e de baixo custo," disse o professor Edmund Linfield, coordenador da equipe.

Coube a Lianhe Li construir o chip, usando lasers de cascateamento quântico com poucos milímetros quadrados de área.Isto significa que o processo para a obtenção de um material semicondutor é extraordinariamente delicado. No entanto, o progresso obtido nessa área se deve ao aprimoramento na fabricação dessas camadas, chamadas de laser de cascateamento.

O grande desafio é que os raios T - ou a radiação eletromagnética com comprimento de onda na faixa dos terahertz - têm uma energia muito baixa, o que torna difícil a sua detecção.

Agora, os pesquisadores Yukio Kawano e Koji Ishibashi, do Instituto Riken, no Japão, criaram um detector de radiação terahertz embutido em um único chip.

Além da miniaturização do detector de raios T, o novo sensor tem alta resolução e alta sensibilidade, abrindo o caminho para o uso prático dessa faixa ainda inexplorada do espectro eletromagnético.

A grande expectativa é que, conforme esses processos são melhorados, as fontes de raios T fiquem não só menores, mas cada vez mais potentes, finalmente incorporando a promissora radiação terahertz em tecnologias disponíveis para a sociedade.

A radiação terahertz (RT) tem inúmeras vantagens em relação aos raios X. Como sua energia é muito baixa, ela praticamente não danifica os materiais, principalmente os tecidos biológicos.

A radiação terahertz, também é fortemente absorvida pela água, o que significa que os tecidos moles do corpo humano, também poderão ser "fotografados" pelos raios T, e não apenas os ossos, abrindo o caminho para exames médicos não-invasivos impossíveis com a tecnologia atual.

A integração de todos os componentes em um único chip oferece uma forma de detecção robusta e simples. Nos primeiros testes, os pesquisadores conseguiram alta eficiência na detecção com uma resolução de 9 micrômetros - significativamente menos do que o comprimento de onda de 215 micrômetros da radiação terahertz, que está muito além das possibilidades da óptica convencional.

Já pensou se, naquele dia, em vez de bater um raio X o técnico fosse bater um raio T, isto não me daria a oportunidade de justificar a minha grande exposição no período que antecedeu a cirurgia, haja vista, se tratar de um exame que daria ao médico uma imagem muito melhor e que não me colocaria sob os efeitos danosos da radiação.

Dentre as grandes vantagens deste novo método prestessugir no mercado esta foi a unica desvantagem que encontrei.